Febre Amarela: cuidados e prevenção

Com o surgimento de alguns casos de febre amarela pelo país, a doença voltou a ser tema central de discussão, tanto na mídia quanto no dia-a-dia, entre as pessoas. O desconhecimento gera muitas dúvidas sobre quase tudo o que cerca a patologia: como se proteger da doença? Quem deve tomar as vacinas? Existe tratamento?

Saiba mais sobre a febre amarela e arme-se com conhecimento para prevenir e combater esta doença!

 

A Febre Amarela

Classificada como uma infecção viral (causada por vírus) grave, a febre amarela é transmitida por diferentes tipos de mosquito, que servem de vetor para a propagação da doença. É importante destacar que o contágio pode acontecer tanto em áreas rurais quanto em áreas urbanas. Em áreas rurais, a infecção acontece quando um indivíduo que jamais tenha contraído a febre amarela ou não esteja com a vacinação em dia é picado por um mosquito infectado (do gênero Haemagogus ou Sabethes). Esse mesmo indivíduo, ao seguir para uma área urbana pode se tornar uma fonte de infecção para o mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue, chikungunya e zika vírus) – propagando o vírus em áreas urbanas.

 

Sintomas

01

Quando infectadas, nem todas as pessoas apresentam os sintomas da doença (ou o apresentam de forma enfraquecida). Na primeira leva de sintomas, podem ser citados:

  • Febre alta;

  • Dores de cabeça e no corpo;

  • Calafrios;

  • Náuseas;

  • Vômitos.

Depois desse período inicial, é possível identificar uma melhora nos indivíduos, que dura cerca de dois dias. Entretanto, a partir destes sintomas iniciais, duas situações podem ocorrer: a melhora gradual até a cura ou o agravamento das condições.

Essa segunda situação é muito perigosa, e o grupo afetado pela mesma pode começar a sofrer com insuficiências renal e hepática, icterícia (olhos e pele amarelados – de onde vem o nome da doença), cansaço e hemorragias, correndo risco de morte.

Ao primeiro aparecimento de qualquer um dos sintomas descritos acima, procure uma unidade de saúde imediatamente.

 

Prevenção

02

A mais importante e eficiente medida contra a febre amarela é a vacinação. A vacina é gratuita e faz parte do Calendário Básico de Vacinação da Criança. Mesmo assim, é recomendada para todas as pessoas (principalmente aquelas que residem ou irão visitar áreas com recomendação de vacina). Veja abaixo as orientações completas sobre a vacinação contra a febre amarela:

febre-amarela-info

Contraindicações

  • Indivíduos com histórico de doenças do timo (timomas, ausência de timo, etc.);

  • Pessoas com imunossupressão (de qualquer tipo);

  • Indivíduos com tumores;

  • Indivíduos com imunodeficiência primária;

  • Pessoas em tratamento com drogas imunossupressoras (radioterapia, quimioterapia, etc.);

  • Etc.

As gestantes devem procurar o serviço de saúde para serem avaliadas de acordo com a necessidade/risco de contrair a doença.

Além da vacinação, é importante também que se dê uma maior atenção para o combate ao Aedes Aegypti nos centros urbanos e todas as suas práticas, visto que ele é o vetor da doença nas cidades.

 

Tratamento

Não existe um tratamento específico para a doença. Sendo assim, o tratamento em si consiste em gerenciar os sintomas separadamente, como as dores no corpo e febres. O acompanhamento precisa ser feito de perto, em um ambiente que propicie as condições para o cuidado necessário à condição.

Em muitos casos, os indivíduos precisam ficar até mesmo em unidades de terapia intensiva, visando aumentar as chances de sobrevivência do mesmo.

 

Mantenha a vacinação em dia e reforce os cuidados com a proliferação do mosquito transmissor das doenças. Conhecendo mais sobre a febre amarela, somos mais fortes!

Acompanhe mais dicas como essa em nosso blog!

Deixe o seu comentário aqui